A Faculdade de Ciências Econômicas da UFMG foi fundada em 20 de dezembro de 1941 como entidade privada, com o nome de Faculdade de Ciências Econômicas e Administrativas de Minas Gerais.

Entre seus fundadores podem ser citados os nomes dos professores Olegário Memória Ribeiro de Oliveira, Carlos Horta Pereira, Aguinaldo Sérvulo Botelho, Abel Fagundes, José Monteiro de Castro, Joakim Senna Jerônymo, João da Silva Pimenta, Aníbal Vaz de Melo, Arduíno Bolivar, Célio de Lima e Souza Goyatá, Guilherme Machado, Oswaldo de Abreu Junqueira e Yvon Leite de Magalhães Pinto.

Entre 1941 e 1945 a Faculdade ofereceu um curso superior de Administração e Finanças, que visava formar a um só tempo “agentes consulares, economistas, financistas, técnicos para o serviço público e administradores de empresas". O curso conferia o diploma de Bacharel em Ciências Econômicas.

A partir de 1945, a Faculdade passa por nova fase, incorporando a Faculdade de Economia, Administração e Finanças, anexa à Escola Técnica de Comércio de Belo Horizonte.

Em 17 dedezembro de 1948, por deliberação do Conselho Universitário, a Faculdade foi incorporada à Universidade de Minas Gerais e, mais tarde, em 16 de dezembro de 1949, transformada em estabelecimento federal de ensino, juntamente com a Universidade de Minas Gerais.

Da pequena sede na Rua Guajajaras, 496, a Faculdade transferiu-se em 1948 para a Rua Curitiba, 656, adquirindo ali um andar inteiro, o 5º, do edifício Pirapetinga. Neste endereço a Faculdade funcionou até 1954, quando transferiu-se para sede própria à Rua Curitiba, 832, prédio de 13 andares, onde funcionou até 2007. No final deste ano, a Faculdade foi transferida para nova sede no campus Pampulha da UFMG.

Criada com o objetivo de formar quadros profissionais para respaldar a modernização da economia mineira e resgatá-la do marasmo em que se encontrava, o empreendimento era ousado. Buscava-se induzir mudanças sociais e econômicas no âmbito do Estado de Minas Gerais, formando economistas, contadores, administradores, sociólogos e administradores públicos com visão interdisciplinar, para atuar no setor empresarial e assessorar o governo. Seu projeto acadêmico, conjugado ao projeto político, lançaram o nome da Faculdade não apenas em termos regionais, mas também em âmbito nacional e internacional.

Seus diretores foram os professores:

  • João Franzen de Lima (1941)
  • Olegário Memória Ribeiro de Oliveira (1942-1944)
  • Emílio Guimarães Moura (1945)
  • Yvon Leite de Magalhães Pinto (1946-1960)
  • Francisco de Assis Castro (1960-1961)
  • Aguinaldo Sérvulo Botelho (1961-1962)
  • Rodolpho de Abreu Bhering (1962-1969)
  • Joakim Senna Jerônymo (1969-1970)
  • Ivar Vieira Campos (1970-1974)
  • José de Castro (1974)
  • Afonso de Melo Baeta (1974-1976)
  • Nery Paulinelli da Fonseca (1976-1977)
  • João Baptista Vieira Péret (1977-1981)
  • Mitiko Okazaki Kehdy (1981-1982)
  • Jacques Schwartzman (1982-1986)
  • José Alberto Magno de Carvalho (1986-1990)
  • Talita Ribeiro da Luz (1990-1994)
  • Antônio Carlos Ferreira Carvalho (1994-1998)
  • Clelio Campolina Diniz (1998-2002)
  • Clelio Campolina Diniz (2002-2006)
  • José Alberto Magno de Carvalho (2006-2010)
  • Reynaldo Maia Muniz (2010-2014)

Leia Mais: João Antonio de Paula. O ensino e a pesquisa em economia na Universidade Federal de Minas Gerais. Análise, v. 17(2), 2006.